Inicio ARTIGOS Comprar imóvel na Planta: Cuidados

Comprar imóvel na Planta: Cuidados

1503
COMPARTILHAR

Para quem não tem pressa para mudar ou procura um imóvel para investir, comprar imóvel na planta pode ser considerada uma ótima opção

Como comprar imóvel na planta

Antes de decidir por comprar um imóvel (em especial imóvel na planta), é importante definir a localização, o tamanho e quanto você pode pagar.

Uma questão óbvia é que o comprador terá que aguardar a conclusão das obras para se mudar e isso pode ser um problema para quem tem pressa.

Não compre o imóvel no dia em que for conhecer o empreendimento. Faça planejamento de todas as condições e faça tudo com calma!

Se, depois de muito planejamento, decidir comprar imóvel na planta, é preciso ficar atento para fechar um bom negócio.

Opções como comprar apartamento na planta são bem atrativas, embora esse tipo de negócio também gere dúvidas.

Uma regra básica antes de fechar qualquer negócio é ler atentamente o contrato.

Mas, considerando a compra de imóvel na planta, alguns cuidados adicionais são necessários, tais como: buscar informações sobre a idoneidade da construtora, sobre a regularidade da obra junto à prefeitura, entre outros.

Para ajudar a tomada de decisão bem planejada, confira algumas dicas e cuidados sobre a compra e o financiamento de apartamento na planta.

Quais vantagens de comprar imóvel na planta?

A aquisição de um apartamento na planta tem suas particularidades.

É possível dar uma entrada pequena e não comprometer muito o seu orçamento familiar com as parcelas mensais.

O comprador terá mais flexibilidade para pagar a entrada do imóvel, já que poderá quitar este valor ao longo do período da construção.

Além disso, terá a garantia de que o imóvel poderá atender as necessidades atuais e toda a sua estrutura e instalações serão novas.

Depois de concluída a obra, o restante do valor que precisa ser pago pelo apartamento pode ser financiado através de um banco.

  • Possibilidade de parcelar a entrada do imóvel, em torno de 30% do valor total do imóvel;
  • Flexibilidade na alteração da planta;
  • Potencial de valorização do imóvel.

São frequentes as notícias de consumidores acionando as Construtoras e Incorporadoras via Órgãos de Defesa do Consumidor (PROCON) ou por meio de ação na justiça ao comprar imóvel na planta.

O imóvel ainda está na planta, ou seja, não foi construído.

As principais razões dos questionamentos são:

  • quebra de contrato de aquisição de imóvel na planta,
  • o atraso na entrega do imóvel,
  • cobrança de taxas/comissões abusivas,
  • problemas ou vícios construtivos e
  • a aplicação de taxas de juros na fase de construção.

E como a construção de um empreendimento demora em média 30 meses, muitos imprevistos podem acontecer no meio do caminho.

Além, de haver risco da própria construtora falir.

Veja os cuidados que para se proteger dos riscos de comprar imóvel na planta

Comprar imóvel na planta envolve uma série de riscos e deixa muita gente insegura.

Atrasos na entrega não são raros, a dívida pode crescer acima do esperado e a construtora pode até falir.

Principais cuidados que você deve ter ao comprar um imóvel na planta:

  • Antes de assinar o contrato, guardar todas as propagandas e panfletos sobre o empreendimento para eventuais futuros questionamentos administrativos ou judiciais;
  • Procure a Prefeitura para saber se o imóvel pode ser atingido por um projeto de desapropriação para alguma obra pública ou ainda se o terreno está contaminado.
  • Pesquisar sobre a idoneidade da Construtora junto ao CREA, cartórios, justiça/por ações judiciais, PROCON;
  • Procure informações sobre empreendimentos passados,pesquise a reputação da construtora e se oferece serviços importantes, como atendimento pós-venda.
  • Ler todas as cláusulas do contrato previamente, especialmente: as de previsão de atraso da obra, ressarcimento/indenização, multas, como fica o pagamento das parcelas se houver atraso da obra, cancelamento da operação, valores do imóvel e das parcelas, taxa de juros, prazos, documentos que sejam citados ou anexados ao contrato como memorial descritivo, plantas cronogramas. Em caso de dúvida questionar por escrito e/ou solicitar auxilio de especialista jurídico na área para propor alteração ou complementação;
  • Manter a guarda de questionamentos e respostas, pareceres e todos os comprovantes de pagamentos relativos ao negócio;
  • Quem contrata o serviço do corretor é quem paga a taxa de corretagem, na regra geral é o vendedor, exceto que o comprador concorde em pagar a comissão de corretagem, nesta opção ela deve ser especificada no contrato e não pode compor o valor total do imóvel, vide artigos 722 a 729 do Novo Código Civil;
  • Durante a obra, visite periodicamente o local, certificando-se do andamento, é interessante buscar conhecer alguns compradores e fazer em conjunto esta verificação;
  • O memorial descritivo, cronograma e plantas auxiliam muito, inclusive como consulta técnica e checagem dos materiais de construção utilizados com os que estão relacionados no memorial, por exemplo: tipo de tijolos, cerâmicas, pisos, revestimentos, aberturas, metais, louças, vidros, tipo de tinta, dentre outros;
  • Ao receber a unidade residencial, também de posse do memorial e plantas, conferir e testar o funcionamento das torneiras, tomadas, fechaduras, abrir e fechar as janelas e portas, verificar as entradas de água, gás e registros de fechamento, quadro de luz, condições das paredes (pinturas/eventual trinca ou rachado), nivelamento do piso e localização da garagem de acordo com o contrato;

O que devo checar quando receber o imóvel?

  • Encontrada alguma irregularidade não assinar documento de entrega sem apontar o problema e o de acordo de regularização pela Construtora, em último caso, juntar toda documentação já citada e buscar orientação de seus direitos nos órgãos de defesa do consumidor ou via judicial.

Imóvel na Planta – Vantagens e Desvantagens

Imóvel na Planta

Como comprar apartamento na planta sem correr riscos

É preciso cuidado e atenção durante todo esse processo. Primeiro, antes mesmo de procurar por apartamentos, é fundamental saber o quanto você pode investir.

Além disso, faça uma pré-avaliação com o banco de sua escolha para ter certeza de que, quando a hora chegar, você poderá realizar o financiamento do valor restante do imóvel (o chamado saldo devedor).

Confira mais informações sobre o que é necessário para financiar seu apartamento.

Veja mais:

Financiamento Habitacional – O que considerar?

Saiba quanto você pode pagar

Os financiamentos não podem comprometer mais de 30% da sua renda e o ideal é comprometer o menos possível.

Assim se você já tiver outro empréstimo ou financiamento, sua capacidade de pagamento fica reduzida.

Antes mesmo de procurar o imóvel, simule nos bancos quanto você realmente poderia assumir de parcelas por mês e qual limite que o banco libera para financiar.

Antes de assinar contrato com a Construtora/Incorporadora, faça análise de crédito com alguns bancos e verifique se tem o financiamento pré-aprovado, bem como, compare e escolha a melhor opção de crédito.

Parcelas muito pequenas no decorrer das obras podem significar saldo a financiar maior quando o imóvel ficar pronto.

Tal situação pode implicar que quando chegar a época de financiar, o comprador não tenha renda suficiente para conseguir um financiamento.

Valores serão atualizados

Durante a construção – antes de assumir o financiamento no banco, portanto as parcelas pagas à construtora não sofrem a incidência de juros, mas sofrem correção, na maioria dos casos pelo Índice Nacional de Custos da Construção (INCC).

Mas, podem ser adotados outros como:

  • CUB – Custo Básico da Construção Civil
  • IGP-M – Índice Geral de Preços – Mercado

CUB ou INCC são os índices utilizados pelos contratos durante o período de obras, com a finalidade de atualizar o valor das parcelas.

Quando o Habite-se é emitido, passa a ser utilizado o IGP-M e a Construtora pode passar a cobrar juros compensatórios de 1% a.m. até o pagamento do saldo devedor ou até a data do financiamento imobiliário com o banco.

Portanto, aquele valor inicial indicado no contrato pode aumentar até o imóvel ficar pronto e quando o adquirente for efetivar o financiamento com o banco.

Não planeje algum compromisso em função da entrega do imóvel

Não planeje venda de outro imóvel, casamento, ou qualquer outro compromisso em função da data de previsão de entrega do imóvel.

Pode haver atraso na obra, e as próprias construtoras preveem, em contrato, a possibilidade de atrasar a entrega em até 180 dias. Em alguns casos, o atraso supera os 180 dias.

Conseguir o eventual ressarcimento na Justiça é perfeitamente possível, mas a falta do imóvel na data desejada não pode ser compensada.

Vejam perguntas e respostas mais frequentes sobre aquisição de Imóvel na Planta:

Fonte das informações dos slides: Folha UOL

Veja também:

Patrimônio de Afetação – entenda o significado

Detalhes que exigem atenção:

Sair de um stand de vendas com um imóvel comprado na planta pode ser um sonho.

Mas, sem os devidos cuidados e atenção, podem surgir surpresas degradáveis na hora de pagar pelo bem ou receber o imóvel.

Comprar imóvel na planta é comprar uma promessa, é crer a vendedora irá construir um imóvel, e assim a desconfiança é a melhor amiga do consumidor.

Não compre o imóvel na primeira vez que vê-lo. Leve a documentação, o contrato, o memorial descritivo e a planta para casa.

É preciso decidir pela compra de imóvel na planta de forma fria e planejada. Será sempre a melhor opção.

VALÉRIA VIVIANE CORREA DE FREITAS

Especialista em Crédito Imobiliário

Veja mais:

FGTS para financiamento de Imóvel na Planta

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde, Parabéns pelo site e obrigado por ajudar com seu conhecimento.

    Em março assinei contrato de compra e venda de apartamento com uma incorporadora, o contrato prevê cobrança de INCC e após habite-se 1% ao mês, assinei também um papel dizendo que houve distrato com outro comprador, em maio saiu o habite-se.

    A caixa esta financiando como “usado” apesar de nunca ter sido habitado porque a incorporadora tem uma procuração para vender o apartamento.

    Duas perguntas:

    1 – Porque estão cobrando INCC se é considerado usado pela caixa? É licito cobrar?

    2 – Estão cobrando também 1% ao mês porem quem esta demorando para acertar a documentação do distrato junto a caixa são eles. é licito cobrar por atraso deles?

    Muito obrigado!

    • Olá Alexandre

      Boa Tarde!

      Esclarecemos que os índices de atualização e juros estão de acordo com a praxe do mercado imobiliário.
      Vejam mais detalhes no artigo:
      Índices correção monetária da construção civil

      A CAIXA acabou de mudar a política de crédito e passou a financiar 80% do valor do imóvel para imóveis usados, assim cremos que não haverá diferença no seu financiamento.

      Com relação ao contrato orientamos a procurar o PROCON ou advogado de sua confiança para analisar eventual questionamento sobre as condições do contrato.

      Equipe Click Habitação

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.

Please enter your comment!
Please enter your name here