Inicio ARTIGOS Primeiro imóvel: Compra requer atenção redobrada

Primeiro imóvel: Compra requer atenção redobrada

1289
COMPARTILHAR

A compra do primeiro imóvel para moradia é praticamente o sonho da maioria das pessoas.

Os motivos para pensar em realizar este sonho são diversos e dependem do perfil de cada indivíduo

Compra do primeiro imóvelPrimeiro imóvel – Alguns motivos:

  • Abandonar o pagamento de aluguel que depois de um certo tempo se torna um valor que poderia reverter em patrimônio próprio; esquecer o pesadelo de ter que trocar de imóvel ou porque o aluguel subiu, ou, a não renovação do contrato;
  • Preparação para casar/morar juntos, muitos casais resolvem que é chegada a hora de morar juntos, todavia planejam este momento condicionado a comprar e mobiliar o seu próprio imóvel;
  • Viver sozinho, são várias as razões e cada vez mais frequentes, por independência financeira aliada à saída da casa dos pais, propostas de trabalho em outra cidade, separação conjugal e outras mais.

Busca do Primeiro Imóvel

A mistura do desejo de comprar e da ansiedade em encontrar o imóvel certo, ofertas tentadoras culminando na pressa em fechar o negócio, podem se transformar em decepção e/ou grande aperto financeiro.

Lembramos daquele dito “muita calma nesta hora”, sim porque nem sempre o que sonhamos comprar caberá dentro do nosso orçamento, por isso alertamos que essa decisão deve ser feita com paciência.

E depois de esgotadas todas as pesquisas de condições, regularidade de documentos do imóvel, preços e despesas.

Fizemos um check-list de requisitos para reflexão e avaliação visando auxiliar e antecipar eventuais imprevistos.

Requisitos para análise

1. Tipo de imóvel

Definido o tipo de imóvel casa ou apartamento – perfil individual, um morador, ou família e nº de filhos/dependentes, se viajam muito, segurança, necessidade de garagem.

2. Número de dormitórios

Avaliar, se mora sozinho, 01 quarto ou uma Kit já resolveriam, no caso de família o número de dormitórios varia de acordo com o perfil dos integrantes.

Esta escolha pesa no preço do imóvel, mas deve-se levar em conta o plano de vida e o orçamento financeiro, melhor um imóvel compacto com valor dentro do que é possível pagar do que um futuro “elefante branco” impagável e difícil de revender.

3. Preço total do Imóvel

Saber o valor total do tipo de imóvel escolhido no mercado, e simular valor da prestação e do financiamento considerando a renda familiar.

A simulação em geral está disponível nas páginas dos Bancos.

4. Valor para entrada da compra

Trata-se do valor de sinal do imóvel e despesas com cadastro e contratos, é recomendável pelos especialistas e por quem já passou pela experiência, possuir uma poupança cerca de 30% do valor do imóvel, porque dependendo do Banco escolhido e do programa de financiamento não é emprestado 100% do valor do imóvel.

Quando não possuir o valor da entrada/sinal, as opções do mercado são o consórcio de imóveis ou o imóvel na planta direto com a Construtora.

Escolhas que podem demorar um certo tempo e avaliar se o orçamento mensal comportará o pagamento tanto do aluguel como da cota do consórcio ou parcela mensal da entrada e intermediárias com a Construtora até a unidade ficar pronta.

Veja mais:

SFH – Limites de Avaliação e Financiamento

5. FGTS

Para compor o valor da poupança pode ser utilizado o FGTS, desde que a operação seja realizada por um Banco ou Instituição autorizada, e ainda o imóvel, financiamento e comprador(es) devem atender às regras para uso do Fundo.

Veja também:

Como usar FGTS na compra de imóveis?

6. Procurar o Imóvel

Seja ele usado ou novo, ver as condições físicas/construtivas e de habitabilidade, documentação em ordem, dívidas quitadas de IPTU, taxa de condomínio.

Se imóvel na planta maior cuidado, ver estágio da obra, documentação, pesquisa de idoneidade da construtora responsável.

Se for condomínio vertical ou horizontal avaliar condições de acesso e segurança, área comum, privativa e social. Localização e disponibilidade de transporte.

Antes pode ser solicitada avaliação do imóvel junto ao Banco ou engenheiro de confiança, procedimento que gera custo, mas dará segurança.

7. Encontrado o Imóvel

Pesquisar as formas e condições de financiamento na Construtora, Instituição Financeira ou Administradora de Consórcio. Organizar a sua documentação pessoal, comprovantes de renda e residência.

8. Formalizando o Contrato

Se sentir insegurança pode ser consultado um advogado ou especialista no assunto, ler com antecedência as cláusulas do contrato, esclarecer dúvidas antes de assinar.

Observar que podem ocorrer atrasos na entrega do imóvel, em geral quando tratar-se de imóvel na planta.

Valéria Viviane Correa de Freitas

Especialista – Crédito Imobiliário

Para entender melhor todo o processo de comprar um imóvel detalhamos o assunto em vários artigos no Click Habitação:

Desconto Custas Cartório e ITBI – financiamento 1º imóvel SFH

Financiamento Habitacional – O que considerar?

 

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.

Please enter your comment!
Please enter your name here