SFH – Condições de financiamento

SFH – Condições de financiamento

1779
Fonte: Click Habitação
COMPARTILHAR

O Conselho Monetário Nacional – CMN regulamenta as condições de concessão de financiamentos imobiliários no SFH

SFH - As condições de financiamento

O financiamento imobiliário representa uma importante ferramenta para aquisição de um imóvel. As mudanças que vêm ocorrendo na economia proporcionam um cenário extremamente favorável aos potenciais compradores, em especial, um ambiente de competição entre os bancos propiciando melhores condições, com ênfase na redução taxa média de juros do mercado.

O CMN estabelece os limites de valor de imóvel e financiamento que para esta linha de crédito o valor de venda ou avaliação.

Veja mais:

SFH – Limites de Avaliação e Financiamento

Uso do FGTS – SFH

Para os contratos com financiamento imobiliário no SFH existem três situações em que é permitido utilizar os recursos do FGTS, desde que a operação esteja (enquadradas/contratadas) dentro das condições permitidas pelo Conselho Curador do FGTS:

  • Aquisição ou Construção de imóvel
  • Amortização ou liquidação do saldo devedor do financiamento
  • Pagamento de parte da prestação do financiamento

Veja também:

Quantas vezes posso usar o FGTS no financiamento?

FGTS para Pagamento de Parte de Prestação

Vejam os detalhes das principais condições dos financiamentos no SFH:

Negociação

As condições para negociação de pagamento de prestações em atraso serão estabelecidas pelos credores (Bancos).

  • As prestações de todos os financiamentos no âmbito do SFH pagas com atraso deverão ser ajustadas “pro rata die” com base no índice de remuneração básica dos depósitos de poupança, acrescidas dos juros contratuais, desde a data do vencimento.
  • Poderão ser cobrados, caso não previsto contratualmente, juros de mora de 1% (um por cento) ao mês.

Veja mais:

Quantas prestações posso atrasar no financiamento habitacional?

Previsão contratual de que eventual saldo devedor, ao final do prazo ajustado, será de responsabilidade do mutuário, podendo o prazo do financiamento ser prorrogado por período de até 50% (cinquenta por cento) daquele inicialmente pactuado.

Veja também:

Saldo Devedor Residual no Decurso do Prazo

Transferência de Financiamentos no SFH

  • Observadas as disposições da Lei nº 8.004, DE 14.03.90, na transferência de imóveis financiados no âmbito do SFH, o agente financeiro transferirá o saldo devedor ao adquirente, concedendo financiamento nas condições vigentes para operações da espécie, mediante contratação de nova operação.
  • Os imóveis habitacionais financiados no âmbito do SFH recebidos em dação em pagamento, adjudicados ou arrematados pelo agente financeiro, quando alienados, poderão ser objeto de financiamento integral ao novo mutuário, observadas as demais condições do referido sistema, recebendo tratamento idêntico aos casos de transferência.
  • Na transferência de parte ideal do imóvel para os demais mutuários coproprietários, será cobrada pelo agente financeiro somente a despesa inerente à formalização do respectivo contrato e seu registro, mantendo-se as mesmas condições contratuais.

Veja:

Transferência de Financiamento Habitacional

Custos

Custo efetivo máximo para o mutuário final, compreendendo juros, comissões e outros encargos financeiros de 12% a.a.

Não estão incluídos no custo efetivo máximo para o mutuário final:

  • Os custos de contratação de apólice de seguros de morte e invalidez permanente, danos físicos ao imóvel e, quando for o caso, responsabilidade civil do construtor.
  • O valor de tarifa mensal eventualmente cobrada do mutuário de contrato de financiamento imobiliário com o objetivo de ressarcir custos de administração desse contrato, limitado a R$25,00 (vinte e cinco reais) por contrato;
  • O valor da tarifa eventualmente cobrada do mutuário de contrato de financiamento imobiliário ou do pretendente ao financiamento habitacional, com o objetivo de ressarcir custos relativos à análise de proposta de apólice de seguro habitacional individual, limitado a R$100,00 (cem reais).

As demais tarifas e despesas cobradas do mutuário, inclusive para avaliação do imóvel financiado ou dado em garantia, estão incluídas no custo efetivo máximo.

Os custos cartorários incorridos pelo mutuário em decorrência da concessão de financiamento para a aquisição de imóvel residencial novo ou usado, bem como aqueles relativos ao pagamento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis “Inter Vivos” (ITBI), podem ser acrescidos ao valor do financiamento.

  • Nesta hipótese o valor do financiamento pode superar o limite, desde que até o montante acrescido.

Na hora de escolher um financiamento é importante pesquisar e comparar o Custo Efetivo Total (CET) de cada financiamento oferecido por bancos, companhias hipotecárias, incorporadoras etc. No CET está incluso não apenas a taxa de juro, mas todos os custos que incidem no financiamento.

Veja também:

Compare o Custo Total do financiamento

Tipos de garantias aceitas nos financiamentos imobiliários no SFH

Os financiamentos imobiliários devem ter por garantia:

  • A hipoteca, em primeiro grau, do imóvel objeto da operação;
  • A alienação fiduciária do imóvel objeto da operação, nos termos da Lei nº 9.514, de 20 de novembro de 1997;
  • A hipoteca, em primeiro grau, ou a alienação fiduciária, nos termos da Lei nº 9.514, de 1997, de outro imóvel do mutuário ou de imóvel de terceiros; ou
  • Outras garantias, a critério do agente financeiro.

Admite-se a substituição da garantia.

Liberação de recursos ao vendedor

A liberação de recursos relativos a financiamentos concedidos somente poderá ser efetuada após a formalização das garantias, ou seja, após o registro da operação no respectivos Cartório de Registro de Imóveis, quando cabível.

Os Bancos, nas operações de financiamento para aquisição de imóvel, devem aplicar ao valor a ser transferido ao vendedor do imóvel, desde a data da assinatura do respectivo contrato até a data da efetiva liberação dos recursos, remuneração equivalente à dos depósitos de poupança, pro rata temporis.

Não é mais permitido que os recursos, enquanto indisponíveis para saque, sejam creditados em conta de depósito e, nem tampouco, ter remuneração diferente daquela prevista para as cadernetas de poupança.

O valor deve ser mantido em conta de controle do Banco, vinculada à operação, em nome do vendedor, desde a data da assinatura do contrato de financiamento até a data da efetiva liberação dos recursos.

Evolução do Saldo Devedor nos financiamentos

A Resolução 4.537, posteriormente alterada pela Resolução 4.550, do Conselho Monetário Nacional – CNM estabeleceu condição adicional a ser observada na contratação dos financiamentos. Os contratos não podem admitir qualquer espécie de aumento do saldo devedor ao longo do período de financiamento. As operações aprovadas pelos agentes financeiros até 30 de junho de 2017 poderão ser finalizados, até 31 de agosto de 2017, com a observância das condições do SFH anteriormente vigentes.

Assim, os novos contratos, iniciados a partir de jul/17 e todos a partir de set/2017, terão que efetivar a atualização monetária ou recalculo mensal da prestação para fins de evitar a possibilidade de aumento do saldo devedor.

Mas, a medida é polêmica e pode inviabilizar o uso da Tabela Price como sistema de amortização, considerando que dependendo do índice da atualização monetária (TR) a prestação (A+J) dos contratos novos poderia ficar variável para o atendimento integral da Resolução do CMN, considerando que nem sempre o reajuste ou recalculo da prestação (A+J) será suficiente para atender a decisão do Conselho.

É uma ação preventiva e salutar do CMN/Banco Central, considerando o crescimento mensal dos saldos devedores, que estão ocorrendo principalmente nos financiamentos com sistema de amortização pela Tabela Price, e que poderiam colocar em risco a base das garantias dos financiamentos (imóveis) frente aos saldos devedores, com possibilidade de geração de saldo devedor residual no final do prazo do financiamento.

Gilberto Ribeiro de Melo

Especialista – Crédito Imobiliário

Fonte das informações:

Resolução CMN 1.980/93

Resolução CMN 3706/09

Resolução CMN 3.932/10

Resolução CMN 4.537/16 e 4.550/16

Atualizado em 30/11/2016

Veja mais:

Como consultar saldo devedor do financiamento

50 COMENTÁRIOS

    • Ola Faabiane

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Trata-se da tarifa do banco para enviar um engenheiro para avaliar o andamento/evolução da obra visando a liberação da parcela.

      Equipe Click Habitação

  1. Tive um imovel financiado no sistema SFH e já efetuei a quitação do mesmo. Após a quitação deste imovel, 3 anos depois, ele entrou como parte de pagamento para um novo imovel e foi adquirido um novo financiamento junto ao banco pelo sistema SFH.
    Tenho um saldo de FGTS que gostaria de utilizar na amortização e ao entregar a documentação ao agente bancário este me informou que não posso fazer a utilização de amortização para um segundo imovel no mesmo Estado.
    Para esclarecimento não tenho mais posse e não sou dono do primeiro imovel que entrou como parte de pagamento. Diante disto só tenho a propriedade deste segundo imovel, inclusive com o financiamento ativo em meu nome.
    Está correto a resposta do banco que não posso utilizar meu FGTS para amortização do saldo devedor deste novo financiamento?

    • Olá Jonas

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que uma vez transferida a propriedade do imóvel devidamente registrada no Cartório de Registro de Imóveis deverá ser efetivado o enquadramento para uso do FGTS, se não o fez no momento da contratação do novo financiamento.
      Se atendida as condições de uso poderá ser utilizado o FGTS no financiamento.
      Em geral, os bancos privados são mais rigorosos na análise do uso do FGTS.
      Orientamos a efetivar a reclamação e pedir auxilio ao PROCON, se necessário for.

      Veja no artigo:
      FGTS e a propriedade de imóveis

      Equipe Click Habitação

  2. Boa noite! Desculpem mas não consegui entender! Financiei um imóvel no Rio de Janeiro e me mudei agora para são Paulo! Eu consigo transferir o financiamento do imóvel atual para um em São Paulo?

    • Olá India

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que no Brasil o crédito imobiliário é uma relação entre um comprador e o Banco, assim se você quiser trocar de imóvel e ele está financiado junto a um banco, por exemplo, precisa realizar duas operações:
      * Transferir a dívida do financiamento ou vender para um novo adquirente
      * Nova operação de crédito imobiliário para a compra do novo imóvel

      Substituição de Garantia (Transferir o financiamento para outro imóvel)
      A substituição de garantia do financiamento pode ser aceita se ambos os imóveis estiverem com a mesma titularidade da propriedade, e após a avaliação e autorização do banco financiador.
      Assim, na substituição de garantia você efetiva a transferência do financiamento para outro imóvel de sua propriedade, liberando a garantia do imóvel atualmente financiado.

      Sugerimos a leitura do artigo sobre transferência de financiamento:
      Transferência de financiamento habitacional

      Equipe Click Habitação

  3. Boi noite,

    1. Gostaria de fazer uma simulação para amortização no prazo, segue dados:
    Saldo devedor: 76.543,54

    Valor pretendido para amortização 12.500,00

    Valor da Amortização: 546,72

    Valor dos Juros: 524,72
    Prestação: 1.070,94
    Seguro: 21,84
    Taxa: 23,50

    Prazo 143 meses, estou na parcela 03

    Taxa contratual 8,16
    2. Eu tenho uma dúvida. Sempre ouvi comentários de que é melhor juntar um valor substancial para tentar amortizar. Isso altera alguma coisa no valor do saldo devedor? Tipo, eu devo esperar pra juntar 20 mil reais.? ou com 10 mil reais já está valendo?
    Desde já agradeço a atenção.

    • Olá Risoletta

      Bom dia! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Vamos repetir a resposta do comentário do outro artigo do portal.

      Informamos que o cálculo de simulação foi baseado nos dados fornecidos no comentário e no sistema de amortização SAC.
      Novo prazo aproximado = 101 meses
      A prestação (A+J) ficaria aproximadamente a mesma = R$ 1.071,44

      A questão do momento de amortizar vai depender da disponibilidade do valor e se o rendimento líquido dele é ou não superior ao CET do contrato + projeção da TR.
      Sugerimos a leitura do artigo:

      Compare o Custo Efetivo Total – CET

      Equipe Click Habitação

  4. Comprei uma casa com a construtora lorenzzete no mt,que entra no plano minha casa minha vida ,eles prometeu entregar a casa para 155 moradores em janeiro,as casa estão prontas des de outubro de 2016,em 12 de Dezembro entregaram as chaves,com 3 dias colocaram um papel na porta que não podiamos mudar si não seriamos multados, ai que começamos ir atras e descobrimos que o prefeito não libera habitese, porque tem problema na rede de esgoto e des de janeiro estamos na briga com a costrutora, a empresa de água e prefeitura, ja colocamos no ministerio publico não resolveu nada, a promotora ja fez o tac e nada,a costrutora fala que o problema e da prefeitura e eles fala que e da construtora porque as casas são de terreno particular e não da prefeitura,e a construtora não libera nem para fazer o muro que ele não ingruiu na construção, agora os morados cansarão de pagar o aluguel e os juros de construção e a luz que ja foi ligada e para melhorar o iptu chegou e não podemos morar ai resolveram que vão entra mesmo com os problemas que existe na casa,como podemos resolve esse empate sou de tangara da serra mato grosso agradeço a atenção

    • Olá Maria Cristina

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Orientamos a abrir várias frentes de questionamentos:
      – Defensoria Pública
      – PROCON
      – CAIXA: o 0800-721-6268 – Telefone do Programa Minha Casa Minha Vida
      – Chamar a mídia e fazer barulho!

      Equipe Click Habitação

  5. Tenho um financiamento pelo sistema SFI, pela CEF, há possibilidade de substituição de garantia? Pretendo trocar o imóvel transferindo o débito para o novo bem.

    • Olá Stella

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que a substituição de garantia é perfeitamente possível, se ambos os imóveis forem de sua propriedade.
      Você deverá apresentar o pedido junto ao Banco, que avaliará a questão e aceitabilidade da substituição de garantia.
      Haverão custos com avaliação do novo imóvel e custos de contratação, além da averbação junto ao Cartório de Registro de Imóveis.

      Equipe Click Habitação

  6. Bom dia,

    Comecei a pagar uma cooperativa Habitacional bom futuro aqui na região de itapevi,
    e fomos contemplados e eles pedem um valor de chave de 10 mil reais, é possivel ultilizar meu FGTS,
    para pagamento dessa chave ( que é uma amortização nas parcelas ?)

    Atenciosamente,

    • Olá Rodrigo

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação

      Orientamos a questionar a Cooperativa sobre a possibilidade de utilização neste momento ou somente na entrada do imóvel pronto.

      Equipe Click Habitação

  7. Bom dia, eu e meu irmao compramos uma casa em um financiamento conjunto pela caixa a 4 anos, so q no momento vendi minha parte da casa pro meu irmao q caso. Pois agora tbm casei e minha esposa e eu tivemos filha, gostaria de saber se posso compra uma casa em conjunto com minha mulher e se posso usar fgts e se tenho direito de subsidios depenteno da nossa renda, e se o primero financiamento q tive com meu irmao atrapalha em que sentido e ajuda em q sentido, e se isso facilita a aprovacao de um financimento conjunta com minha mulher? Des de ja obrigado, sao varias duvidas mas ficaria agradecido se tira essas duvidas

    • Olá Carleano

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que você poderá financiamento seu segundo imóvel no SFH, sem nenhum problema.
      Agora, se o primeiro financiamento obteve subsídios do Governo ou do FGTS nos programas Minha Casa Minha Vida ou Carta de Crédito FGTS você não poderá financiar nos programas, podendo utilizar o financiamento no SFH com recursos da poupança com recursos do SBPE.
      Sugerimos efetivar a simulação nos sites dos bancos. Veja no artigo:
      Simulação de Financiamento Imobiliário

      Equipe Click Habitação

  8. Boa tarde,

    Posso usar o FGTS para dar entrada de um imóvel ainda em construção ou na Planta? e posteriormente quando o imóvel estiver pronto posso financiar o restante? Ou posso financiar o imóvel pela CEF ainda na Planta ou em construção?

    Grato,
    Jean

    • Olá Jean

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que somente a CAIXA financia o imóvel durante a fase de construção, os demais bancos não o fazem.
      Se o financiamento estiver dentro nas condições de uso do SFH e FGTS poderá ser utilizado o FGTS como entrada.

      Veja as condições de uso do FGTS na entrada:
      Posso usar FGTS na compra de imóvel?

      Equipe Click Habitação

  9. Gilberto, Bom dia! uma duvida:

    Vou vender minha casa e o comprador tem o dinheiro a vista (ele nao vai usar fgts).

    Eu posso amortizar usando meu FGtS e logo após vender a casa para ele?

    Obs: (Se eu tivesse usado o Fgts, teria que esperar 2 anos para o comprador poder usar o FGts… é isso mesmo?)

    • Olá Lucas

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que os tipos de utilização não se misturam.
      Assim, na aquisição de imóvel e uso do FGTS como entrada o intervalo de uso é para o mesmo imóvel.
      Sugerimos a leitura do artigo, da figura e do vídeo:
      Quantas vezes posso usar o FGTS no financiamento?

      Equipe Click Habitação

  10. Olá,

    Qual o percentual atual máximo para financiamento que a CEF adota para operações em que figura como interveniente quitante para contratações por funcionários públicos? Vi que a taxa para o público em geral é de no máximo 70% mas não vi referência a funcionários públicos.

    • Olá Antônio

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que a quota de financiamento de 70% foi posteriormente aumentada pela CAIXA, em função da queda da Taxa SELIC e na tentativa de estimular o crédito imobiliário:
      Operações com Interveniente Quitante SAC até 80%

      Assim, a quota de financiamento passou a ser de 80% do valor do imóvel e vale para todos.

      Equipe Click Habitação

  11. Olá, boa noite.
    Eu tenho uma dúvida sobre as parcelas de meu financiamento.
    Meu financiamento é de 360 meses, SAC. Bradesco. Taxa Nominal 9,11 e taxa efetiva de 9,50
    Peço muito a ajuda de vocês porque eu acho que tem algo muito errado nos cálculos da minhas parcelas, estão me cobrando a mais
    O que ocorre é que a primeira parcela do meu financiamento em março/ 2013 foi R$ 2.178,00 e hoje em dez de 2016 R$ 2.128,00
    ou seja, após muito tempo não caiu quase nada.
    Onde posso refazer essas contas?
    Por favor me ajude
    muito obrigada

    • Olá Cecilia

      Boa Noite!

      Esclarecemos que a partir de 2013 o Governo Federal em função da crise econômica começou a aumentar os juros (selic), por consequência os juros de mercado e a Taxa Referencial – TR aumentaram.
      A TR atualiza os saldos devedores dos contratos habitacionais, da mesma forma que a poupança ou as contas do FGTS.
      O aumento da TR prejudica a evolução do financiamento, pois ele “anula”ou minimiza a amortização dos pagamentos das prestações do seu financiamento.
      Assim, todos os meses, antes da dedução da amortização – A da prestação o saldo devedor é atualizado, após calcula-se e acrescenta-se o juros contratuais – J e deduz-se a amortização constante no encargo periódico.

      Por que a prestação do financiamento pode aumentar?
      Elevação ou a queda dos juros no mercado muda o valor da TR, a qual atualiza o saldo devedor dos financiamentos habitacionais e pode pesar ou aliviar na prestação, quando do seu cálculo mensal, recálculo periódico ou atualização.
      Assim, é possível afirmar que o decréscimo mensal que ocorria em passado recente para os contratos com sistema de amortização SAC era, em parte, decorrente de TR num patamar mais baixo que o atual. Já os contratos com sistema de amortização PRICE passarão a ter recálculos das prestações com maior acréscimos de valores.

      Sugerimos a leitura do artigo:
      Como consultar saldo devedor do financiamento

      Recentemente o governo recomeçou a baixar os juros (selic) e esperamos que o movimento continue no ano que vem. Isto melhorará a evolução do saldo devedor, pois os saldos devedores serão atualizados com índices menores. Vamos acompanhar.

      Se você desconfia de algo no seu contrato poderá solicitar a planilha de evolução do financiamento para sua avaliação.

      Equipe Click Habitação

  12. Olá, boa tarde.
    Sou servidor público federal aposentado, posso doar uma quantia em dinheiro por mês para a minha filha poder pegar financiamento habitacional?
    Muito obrigado.

    • Olá Tatsuo

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Cremos que este tipo de “renda” complementar, por meio de doação não será aceita pelo banco.
      Mas, orientamos a questionar o banco.

      A sua composição de renda provavelmente será aceita, mas você passará a ser proprietário do imóvel junto com sua filha.

      Equipe Click Habitação

  13. Boa tarde, tenho um imóvel financiado pela caixa a dez anos,alem do seguro é cobrado uma taxa de administração, gostaria de saber se correto esta cobrança,obrigado.

    • Olá Clovis

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que conforme consta no artigo a cobrança da taxa de administração é permitida pelo Conselho Monetário Nacional, mas é limitada a R$ 25,00.
      Deverá constar na tabela de tarifas do banco.

      Equipe Click Habitação

  14. Boa Tarde
    Quero usar meu FGTS para construção em terreno próprio. Até o momento atendo todos os requisitos (o terreno é meu, esta em área urbana, no local onde trabalho, não tenho outra casa, nunca usei nem financiei com meu FGTS, etc.). Porém uma construtora me disse que a caixa não financia construções e nem libera o FGTS, se a construção não for de “alvenaria tradicional”, como por exemplo construções de tijolo ecológico, de madeira, etc.
    Isso é verdade? ou é apenas uma desculpa da construtora?
    Onde posso encontrar os tipos de construção que posso usar meu FGTS/financiamento?

  15. Olá boa noite, primeiramente quero parabenizar pelo site, e queria tirar uma duvida, a 2 anos comprei uma casa pelo minha casa minha vida, no BB, pelo plano price,notei que todo mês a um reajuste na prestação da casa, enquanto um colega comprou na caixa e a dele nunca deu reajuste, quando comprei me disseram que a parcela era fixa e que poderia mudar com base na Selic, só que a moça do banco disse que é um reajuste minimo que é imperceptível, mas até agora ela sobe todos os meses, eles me deram uma planilha com o valor até o final mas o reajuste já superou o que vem na planilha, a prestação começou em 455,50 e já esta em 471,46, somente em 2 anos de contrato isto é normal ou devo procurar o banco? pq se continuar assim o aumento em 30 anos pode ser muito auto, desde já agradeço.

    • Olá Gildazio

      Boa Tarde!

      Já respondemos esta pergunta em outro artigo. Vamos repetir a resposta:

      “Esclarecemos que a diferença entre os bancos é que o Banco do Brasil faz o recalculo das prestações de forma mensal e a CAIXA faz anualmente.
      Provavelmente o seu conhecido irá ter uma aumento considerável quando efetivar o recalculo, ao passo que o seu contrato tem pequenos aumentos mensais.

      Por que a prestação do financiamento pode aumentar?
      Elevação ou a queda dos juros no mercado muda o valor da TR, a qual atualiza o saldo devedor dos financiamentos habitacionais e pode pesar ou aliviar na prestação, quando do seu recálculo ou atualização.
      Assim, é possível afirmar que o decréscimo mensal que ocorria em passado recente para os contratos com sistema de amortização SAC era, em parte, decorrente de TR num patamar mais baixo que o atual. Já os contratos com sistema de amortização PRICE passarão a ter recálculos das prestações com maior acréscimos de valores.
      O recálculo reequilibra a relação entre a prestação (A + J) e o saldo devedor, e por consequência limita o eventual saldo devedor residual ao período entre o último recálculo (anual ou trimestral, em geral) e o mês do decurso (final) do prazo contratual.”

      Para entender melhor a evolução do saldo devedor sugerimos a leitura do artigo:
      Como consultar saldo devedor do financiamento

      Equipe Click Habitação

  16. Tenho uma imovel financiado pela Caixa, adquiri outro imovel “similar” porem de menor valor. E possivel fazer a troca de Garantia no meu contrato de financiamento, cujo saldo devedor e inferior ao valor do imovel. Imovel financiado vlr Garantia R$ 550.000 O imovel que adquirir Vlr 290.000
    Tenho um saldo devedor de 198.900 prazo 30 anos.
    E possivel fazer a substituição ? Qual o procedimento? Desde ja Grato

    • Olá Nelson,

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que é possível efetivar a substituição de garantia, mas haverá necessidade de autorização do banco e custos: avaliação, contratação e registro no Cartório de Imóveis.
      Orientamos a procurar o gerente da sua agência e verificar os trâmites para a efetivação da operação.

      Equipe Click Habitação

  17. Olá! Fui transferido para outra cidade para trabalhar e adquiri um imóvel. Solicitei financiamento na Caixa no Pro-cotista utilizando apenas a minha renda para obtenção do recurso. Enquadramentos Ok. Tenho união estável e o banco diz que minha cônjuge irá constar como mutuária. Isto procede? Desta forma ela não poderá financiar imóvel na nossa cidade.
    Parabéns pelo site, muito completo!

    • Olá André,

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que na união estável adota-se o regime da Comunhão parcial de bens, se não for adotado outro, assim os bens adquiridos após o início do relacionamento pertencem a ambos os companheiros.
      Assim, o procedimento correto é o falado pelo Banco.

      Não haverá impedimento de financiar outro imóvel, desde que tenham capacidade de pagamento para tal.

      Equipe Click Habitação

  18. Gostaria de saber se é permitido obter Financiamento, dentro do SFH,CEF, para um segundo imóvel, no mesmo município, sendo que o financiamento foi pela Conder (PAR), antigo financiamento antes do MCMV

    • Olá Willian

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que é possível o segundo financiamento, mas não poderá utilizar como fonte de recursos e nem subsídios do FGTS.
      Assim, poderá financiar com recursos da poupança (SBPE).

      Equipe Click Habitação

    • Olá Iandra,

      Bom dia!

      Os recursos de poupança estão mais escassos. Nos bancos privados e BB a liberação é normal.
      A CAIXA, fez algumas restrições para:
      – financiamento do 2º imóvel;
      – diminuiu o valor máximo a financiar, em especial para imóveis usados.
      Orientamos a efetivar a simulação no site dos bancos:
      Simulação de Financiamento Imobiliário

      Quanto ao Pró-cotista o Banco do Brasil tem recursos, verifique.

      Equipe Click Habitação

  19. Minha pergunta é :Estou separada(não divorciada) e quero comprar um imóvel, mais quero entra apenas com minha renda,eu entendo que a documentação dele é obrigatório ID CPF mais eu tenho que comprovar a renda dele tbm ??? nesse caso o correto seria como ???

    • Olá Jeyne,

      Boa Tarde! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que se foi formalizada a separação judicial não haverá óbice a você contratar um financiamento somente no seu nome.

      Mas, se for somente uma separação “de fato” ainda seu estado civil será de casada, assim dependendo do regime de bens adotado o bem adquirido será de ambos, então entendemos que deverá formalizar a separação judicial ou o divórcio para adquirir o imóvel.

      Equipe Click Habitação

  20. Estamos para fechar uma negociação de um apartamento financiado pela Caixa. A proposta é:

    valor imóvel – 170 mil
    valor entrada – 31.900
    desconto minha casa minha vida – 2.100
    saldo financiado – 136 mil

    O corretor de imóveis fez a simulação na Tabela Price que ficou 360 parcelas fixas de R$ 740 em média, variando devido o seguro.

    Minha dúvida é:
    > Em se tratando da tabela Price, minha parcela pode aumentar ou ela segue fixa até o final do contrato?
    > Em se tratando da tabela Price, qual a probabilidade de no final do contrato existir o Saldo Residual a ser pago?
    > Sendo 2016 um ano de crise onde todos os jornais comentam que não é um ano propício para a compra de um imóvel, quais os riscos que tenho?

    • Olá Celso,

      Bom dia! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que sim pode ser aceito imóvel nestas condições, mas depende da política de cada banco. Verifique.

      Equipe Click Habitação

  21. Bom noite!
    Eu sou nu proprietaria por doação da casa dos meus pais eles são usufrutuarios, o que eu gostaria de saber é se eu consigo fazer um financiamento na caixa para aquisição de um novo imovel?

    • Olá Libamar,

      Boa Noite! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que é permitida a concessão de financiamento ao proponente detentor de imóvel residencial recebido por doação ou herança e gravado com cláusula de usufruto vitalício.
      Cremos que não haverá problemas na concessão de financiamento.

      Equipe Click Habitação

  22. Bom dia
    Posso usar o FGTS para adquirir um imóvel na planta, que a obra está sendo financiada pela Caixa ?

    • Olá Wilson,

      Bom dia! Agradecemos a presença no Click Habitação.

      Esclarecemos que se assinar o contrato de financiamento com o Banco, bem como, você e o imóvel se enquadrarem nas condições de uso do FGTS, a utilização poderá ser efetivada.

      Sugerimos a leitura do artigo:
      FGTS Requisitos do trabalhador – Aquisição

      Equipe Click Habitação

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.