Inicio ARTIGOS Incorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor

Incorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor

7456
COMPARTILHAR

Incorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor: essa medida negocial refere-se ao valor do total em atraso mais os juros de mora e multa, que são incorporados ao Saldo Devedor e diluídos no valor das prestações ao longo do prazo restanteIncorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor

Negociação de dívida 

Sabemos que imprevistos acontecem e podem causar dor de cabeça, fazer você perder o sono por não ter onde tirar o dinheiro. 

Para evitar isso, o melhor é que se tenha um orçamento mais flexível, com menos comprometimento na renda com relação as despesas fixas para que tais imprevistos possam ser encaixados nas despesas mensais. 

A negociação da dívida reflete no aumento dessa despesa fixa, uma vez que esta envolve em reestruturação de dívida, portanto mais pagamento de juros.

Por isso, alertamos que a negociação com o Banco deve ser usada de forma racional, conforme a real necessidade e com reprogramação do seu orçamento.

É preciso esclarecer que a negociação de dívida não é obrigatória pelos Bancos. Porém os Bancos se interessam em negociar tais dívidas, desde que o devedor demonstre intenção de pagá-las.

Muitas pessoas acreditam que basta oferecer um valor e o Banco deve aceitá-lo. Mas não é bem assim.

Outro grande problema é que, na ansiedade de sair do vermelho, as pessoas acabam aceitando termos de renegociação que já sabem, com antecedência, que terão dificuldade de arcar. 

Incorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor

Não há dúvida que a falta de capacidade de pagamento das prestações tem por consequência a imediata inadimplência.

Por cláusula contratual, o Banco tem o direito de cobrar a dívida em atraso e também pode incluir o nome do cliente em cadastros restritivos informativos de crédito até que o atraso seja regularizado.

Para evitar a perda do imóvel, os Bancos trabalham com várias alternativas de refinanciamento da dívida.

Entre elas, a incorporação dos encargos em atraso. Essa é uma das prerrogativas mais utilizadas pelos Bancos, para permitir para que o cliente coloque sua dívida em dia. 

O limite de quantidade de prestações a ser incorporada ou a quantidade de incorporações durante a vigência do contrato é definida pelo Banco, uma vez que o aumento do Saldo Devedor ocasiona em aumento do valor do encargo, podendo comprometer a capacidade de pagamento, limitada geralmente em 30% da renda, mas o ideal é comprometer o menos possível (em torno de 20%). 

Dessa forma, o Banco pode exigir que o cliente faça uma nova avaliação de sua capacidade financeira, antes de autorizar a incorporação. 

Outra exigência que pode ser efetuada pelo Banco é o pagamento de valor de entrada, para que a incorporação seja efetivada.  

As consequências da Incorporação das Prestações em Atraso ao Saldo Devedor são: 

  • A prestação de amortização e juros de contrato com sistema de amortização SAC, SACRE ou Tabela Price com Recálculo periódico é recalculada em função do saldo devedor atualizado pro-rata die (se for o caso), sistema de amortização, taxa de juros e prazo remanescente.
  • Para os dos demais contratos é reajustada na mesma proporção do valor acrescido ao saldo devedor. 
  • Os valores dos prêmios de seguro são ajustados, com base nas condições vigentes para a apólice de vinculação do contrato. 
  • Quanto ao valor da taxa de administração, este permanece o mesmo após a negociação do contrato.  

Mas lembre-se, para o crédito imobiliário, por se tratar de garantia real, os Bancos podem se apresentar mais restritivos ou enrijecidos nessa negociação, então use-as de forma adequada e consciente.

Patricia Matayoshi

Especialista no Crédito Imobiliário

Para saber mais sobre as alternativas negociais, veja mais no artigo abaixo ou verifique com o seu Banco as possibilidades.

Quantas prestações posso atrasar no financiamento habitacional?