Refinanciamento ou Home Equity: Veja como funciona

Refinanciamento ou Home Equity: Veja como funciona

1547
Fonte: Click Habitação
COMPARTILHAR

Sabia que pode refinanciar imóvel quitado? O Refinanciamento ou Home Equity  é destinado a clientes Pessoa Física e consiste na liberação de crédito tendo como garantia da operação imóvel de propriedade do cliente

Refinanciamento ou Home EquityO empréstimo com imóvel em garantia, sem destinação específica, pode ser usada para diversos fins, dentre os quais:

  • Investimento em educação (própria ou dos filhos);
  • Aquisição de outro imóvel, para realizar uma reforma ou para mobiliar a própria casa;
  • Realizar uma viagem em família, com amigos ou sozinho;
  • Realizar uma festa de casamento;
  • Empreender, reformar seu escritório ou consultório, realizar um novo negócio, conquistar clientes, ganhar mercado, fechar negócios;
  • Reorganizar as finanças, concentrando as dívidas em um único pagamento;
  • Entre outros.

O melhor de tudo é poder fazer isso usufruindo do imóvel sem se desfazer do mesmo!

Ao usar o imóvel como garantia para a tomada de crédito, as instituições financeiras classificam a carteira como de baixo risco e, por esta razão, oferecem taxas de juros entre 1% a 2,25% ao mês (nas operações pós e prefixadas), o que torna o Refinanciamento (home equity) mais atraente do que outras linhas.

O sistema de amortização oferecidos pelos Bancos é o SAC e PRICE. O prazo máximo é de 240 meses.

Abaixo segue quadro comparativo para o produto:

Refinanciamento ou Home Equity: veja como funciona

Veja o comparativo da taxa do home equity com outras modalidades de empréstimos:

Refinanciamento ou Home Equity: veja como funciona

Outros diferenciais que devem ser considerados são: limite e quota de financiamento e percentual de comprometimento de renda (até 30%), que varia de acordo com cada instituição financeira.

Na CAIXA, após seis meses da data de contratação, o cliente terá direito a novas liberações de crédito caso não use o valor total aprovado (limitado aos primeiros 5 anos de contrato), é o chamado Limite Global.

Importante:

Cada imóvel só pode estar alienado para uma única operação. Ou seja, você não pode ar em garantia de um empréstimo o mesmo imóvel que está sendo usado como garantia em uma operação anterior.

Outra situação, o imóvel não necessariamente que servirá como garantia do empréstimo terá que ser seu. Mas o dono do bem deverá dar o aval para a operação bem como a assinatura que estará no contrato. Este é chamado como interveniente garantidor, ou seja, também entra como responsável financeiro pela dívida.

Conclusão

O crédito, embora ainda longe de alcançar o número expressivo do crédito consignado ou do crédito imobiliário com recursos do FGTS e SBPE, já está se firmando no portfólio de grandes instituições financeiras.

No fim do ano passado, foram criados novos parâmetros para garantir a liquidez e segurança da operação, devido às novas resoluções do Banco Central. Dessa forma, muitas instituições bancárias reformularam essa linha e a colocaram como um dos produtos que deve ser priorizado na hora da venda.

Esta modalidade de empréstimo como imóvel em garantia é tida como uma tendência natural para esse nicho. Mas vale ressaltar que não se trata de um crédito imobiliário e sim, de um crédito comercial. É uma boa opção para substituir, por exemplo, dívidas elevadas de juros elevados, mas há o contratante deve estar ciente do risco de se perder um imóvel.

Patricia Matayoshi

Especialista em Crédito Imobiliário

Fonte:

CAIXA

ABBC – Valor Econômico

Banco do BrasilSantanderItaú e HSBC

Artigo atualizado em 19/10/16

OBS.:

A Quota de Financiamento ou LTV – definida como o percentual (%) máximo do valor do imóvel (avaliação) que o Banco financia para este tipo de Refinanciamento está limitada a 60% do valor da avaliação do imóvel, de acordo com a Resolução 4.271 do CMN.

VEJA MAIS:

Elevação do Limite do SFH

Quota de Financiamento

Perguntas e Respostas – Refinanciamento de imóvel

O que é – O refinanciamento de imóvel é uma espécie de empréstimo que tem um imóvel como garantia. É possível obter recursos de até 60% do valor do imóvel, sem precisar se desfazer dele

Como funciona – A oferta de um imóvel como garantia, diminui as taxas cobradas pelos bancos, pois a transação se torna mais segura. É preciso ter imóvel quitado ou em fase de conclusão de financiamento

Quem pode pegar – Qualquer pessoa que possua imóvel nas condições exigidas, com documentação regular comprovada. Boa parte dos bancos, principalmente os privados, só oferece o crédito para clientes de contas premium

Outras vantagens – Crédito é liberado rapidamente e sem burocracias, desde que toda a documentação do imóveis esteja regular; prazo para pagamento  flexível, com possibilidade de antecipação das parcelas e de quitação do empréstimo antes do prazo estipulado

Recomendações – Só usar o recurso, caso realmente tenha condições de pagar as parcelas. Usar para substituir alto volume de dívida com juros elevados ou para projetos empresariais

Documentação Necessária

Proprietário e fiador – CPF, RG, certidão de nascimento ou casamento, pacto antenupcial, comprovantes oficiais de domicílio e da circunscrição do imóvel, além de certidão da Receita Federal, no caso de ser empregador

Imóvel – Cópia autenticada da escritura, certidão original de inteiro teor da matrícula e certidão de laudêmio e taxa de ocupação, apenas em caso de imóvel foreiro

Imóvel urbano – IPTU – carnê quitado, do corrente exercício Certidão Negativa de Débito, Impostos e Taxas Municipais – fornecida pela Prefeitura

Imóvel em condomínios – Ata da Assembleia do Condomínio e declaração da inexistência de débitos condominiais

Imóvel rural – Comprovantes de quitação de cadastro e tributos, como CCIR, ITR, CRI e CND. Em alguns casos, a depender da atividade produtiva, também é exigida a Licença Ambiental Única (LAU)

Fonte: A tarde

2 COMENTÁRIOS

  1. […] bancos, segundo o blog Click Habitação, principalmente os privados, só oferece o crédito para clientes de contas premium e limitam a […]

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.