Construtora ou “autoconstrução”?

Construtora ou “autoconstrução”?

378
Fonte: Bem Paraná
COMPARTILHAR

A esperada economia pode sair pela culatra por causa do material de construção mal calculado. Construtora ou “autoconstrução”?

Construtora ou “autoconstrução”?
Marcelino Camara, que após seis meses de planejamento, optou por contratar os serviços de uma construtora (foto: Valquir Aureliano)

Praticamente todo brasileiro tem um sonho: conquistar a casa própria. Mas para não ver o sonho virar um pesadelo, é preciso pensar e pesquisar muito antes de iniciar a construção do seu imóvel. E uma das primeiras dúvidas que vem à cabeça é de que forma construir a residência: contratando uma construtora ou arriscando a autoconstrução – quando a família decide construir por conta própria a casa, sem projeto e contratando pedreiro e mestre de obras sem supervisão.

Muitos acreditam que fazer tudo por conta sai mais barato. Para Marcus Paiva, gerente comercial da Construtora Baggio, a realidade não é bem assim. “Se você não tiver nenhum problema trabalhista, de extravio, de recompra material, a obra talvez custe uns 10% a menos. Contudo, eu não acredito em milagre. É muito difícil que não aconteça nada durante a construção”, afirma. Outro risco para quem tenta fazer por conta é ficar à mercê da mudança do mercado, da inflação, com o preço da obra podendo variar até 60% segundo Paiva, enquanto com uma construtora há um contrato e a garantia de preço, de todo o material e a marca que será utilizada, independente da variação de preço.

Por muito tempo, a autoconstrução representou a maior fatia do mercado da construção ciil. Em 2003, as construtoras detinham 44% do PIB do setor e a autoconstrução era maioria, com mais da metade (56%) da produção da construção. Contudo, uma pesquisa realizada em 2012 pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) mostrou a virada. Hoje, as construtoras respondem por 65% do PIB da construção civil, enquanto a autoconstrução representa 35%.

Para Marcos Paiva, a mudança no perfil da construção civil se explica. “Costumo dizer que a construtora vai te dar um imóvel, enquanto a autoconstrução vai te entregar uma obra. O profissional que tem dinheiro para construir dificilmente tem tempo para ficar cuidando de uma obra e há ainda os riscos inerentes de você estar construindo por conta. Nossa legislação é complicada e hoje em dia queremos solução, não queremos problema”, afirma Paiva.

Este foi o caso de Lidyvannia Franzotte, que após seis meses de planejamento, optou por contratar os serviços de uma construtora.“Cheguei a cogitar a autoconstrução, mas pela comodidade, pelo fato de não precisar ficar sempre acompanhando, optamos pela construtora”, aponta a mulher, que enfrentou alguns problemas durante as obras.”Enfrentei alguns problema normais de construção, de chegar e não encopntrar algo do jeito que tinha planejado. Mas como eu tinha um único lugar para reclamar, no final acabou dando tudo certo. Óbvio que nenhuma construção sai perfeita, mas num geral eu saí contente.”O fato de ter “a casa dos sonhos”, aquela do “jeitinho” que você sempre imaginou, inclusive, pode ser apontada como uma vantagem da autoconstrução, como relata Marcelino Camara. “Antes de começar as obras, até fui atrás de orçamentos.

Talvez com uma construtora fosse mais barato, mas daí não sairia do jeito que eu e minha esposa queríamos, nem com a qualidade que acabou saindo”.Para quem quiser “botar a mão na massa” e tentar a autoconstrução, algumas dicas podem ser valiosas. “Quando vai fazer por conta tem de pegar alguém de confiança, uma pessoa bem indicada. Aí é difícil ter problemas”, afirma o pedreiro Ricardo Stefanovski. Marcelino, por sua vez recomenda “pesquisar, pesquisar e pesquisar”. “A melhor coisa é a propaganda de boca a boca. Não adianta ver uma foto bonita e ir lá comprar. Tem que pesquisar, conversar com pessoas de confiança”, finaliza.

Para avaliar – Construtora ou “autoconstrução”?

O custo da construção

Construindo por conta própria, você pode contratar uma empresa especializada para fazer o orçamento da construção. Porém, como o processo definitivo de escolhas de materiais a serem aplicados ocorre no decorrer da execução da obra, o custo final da sua obra chega em média a 60% a mais do que o orçado no início, prejudicando planejamento financeiro. O que acontece nesse caso são obras iniciadas e que param na fase de acabamento, ou recebem acabamentos inferiores aos desejados. Contratando uma construtora, você assina seu contrato com o valor de acordo com um memorial descritivo previamente estabelecido. Se houver algum tipo de retrabalho, roubo em obra ou desperdício de material, a responsabilidade é sempre da construtora e todos esses materiais extras são providenciados pela mesma.

Acidente de trabalho

Se um funcionário da obra tem um acidente de trabalho, de quem é a responsabilidade? Se você está construindo por conta própria, a responsabilidade é toda sua, mesmo existindo um responsável assinando uma A.R.T. de construção.
Se você está construindo com uma empresa e as notas são feitas em nome desta, a responsabilidade é da construtora e você assume papel de consumidor.

Garantia da obra

Terminei minha obra. Que garantia tenho do trabalho? Quando você constrói por conta, não tem garantia da obra. O dono do processo e responsável pela construção é você mesmo. A responsabilidade por reparos é toda sua. No caso da Baggio, você tem cinco anos de garantia, sendo a construtora responsável por reparos neste período, de acordo com o contrato firmado.

Fonte: Bem Paraná

Veja mais:

Construção de Imóvel – Qual a documentação essencial

SEM COMENTÁRIO

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.