Financiamento Habitacional

Financiamento Habitacional

358
Fonte: Finanças Práticas
COMPARTILHAR

Se estiver pensando em comprar um imóvel, comece a planejar isso agora mesmo. Você precisa colocar suas finanças em ordem, poupar dinheiro para dar entrada e se preparar mentalmente para a responsabilidade de ter uma casa

comprar ou alugar
Comprar ou Alugar?

Habilite-se para um financiamento habitacional

Escolher o imóvel onde você vai morar, seja comprado ou alugado. Essa decisão é um dos grandes momentos da nossa vida: representa independência, uma nova etapa da vida. Uma oportunidade de começar, de trilhar novos caminhos e deve ser muito bem-sucedida.

Por isso, é importante planejar, considerando sua disponibilidade financeira, prós e contras da decisão, documentação e todos os cuidados a serem tomados.

Fique atento! Afinal, não se troca de casa todo dia…

Hora da compra do primeiro imóvel

Muitas pessoas sonham, por muito tempo, com a compra da casa própria. Por isso, diante de uma oportunidade tentadora, é natural que acabem agindo por impulso e fechem rapidamente o negócio. No entanto, como em toda relação de consumo, é preciso cautela, sobretudo em casos como este, que envolve grande quantia de dinheiro.

Qual o seu momento?

Veja mais:

Primeiro imóvel

Você certamente já ouviu a frase: fuja do aluguel! Mas é importante ter consciência de que, como em toda regra, existem exceções.

Cada pessoa deve respeitar o seu momento financeiro e suas possibilidades, de forma a tomar a melhor decisão para o seu caso, respeitando obviamente a regra número um da saúde financeira: o planejamento.

Pense bem:

Se você sonha com sua independência e está de olho em um apartamento pequeno, de um dormitório, pode ser mais interessante aguardar um pouco mais para entrar no financiamento de um imóvel maior, talvez de dois dormitórios, que atenda às suas necessidades futuras.

Da mesma forma, para quem constitui agora uma família, pode ser vantajoso aguardar uma oportunidade melhor de imóvel perto do trabalho ou em uma região de grande valorização, do que comprar algo em local retirado e com poucos benefícios, por conta da pequena quantia que vocês têm disponível hoje.

Evite as decisões precipitadas, por mais que esteja ansioso para conquistar sua independência financeira, ou iniciar uma vida a dois. Comprar um imóvel exige planejamento e boa dose de estratégia.

Como comprar bem seu imóvel

Depois de analisar bem sua situação e concluir que este é o momento de comprar sua casa ou apartamento, é hora de observar alguns aspectos fundamentais para que possa fechar um bom negócio.

Escolha do local:

Este é o ponto de partida para a procura de um imóvel. A região escolhida deve atender às suas necessidades e, eventualmente, às da sua família. Analise com cuidado o acesso ao trabalho e a oferta de comércio e serviços nas proximidades.

Imóvel na planta ou usado:

Para tomar tal decisão, você deve observar muito bem os prós e contras. Procure sempre empresas com tradição no mercado, negócios bastante consolidados, sobretudo se você escolher a compra de imóvel na planta.

Analise muito bem o projeto e tudo o que for estabelecido. Procure ser bastante criterioso e controle sua ansiedade. Afinal, você está adquirindo algo que ainda não existe na prática. Por mais que você visite o apartamento decorado e veja fotos e maquetes do projeto, não há garantia de que tudo ficará exatamente da forma como você idealizou.

Imóvel usado:

Neste caso, você ganha muito na questão espaço (áreas úteis geralmente maiores), mas deve considerar a necessidade de manutenção, que precisa ser contabilizada para o controle de custos extras.

Outros gastos:

As despesas com o imóvel não acabam na compra. Além das taxas e impostos associados com o processo de aquisição do imóvel, é preciso levar em consideração os gastos mensais com manutenção, seguro, IPTU, condomínio etc.

Desconto custas Primeiro imóvel financiado no SFH

Coloque na ponta do lápis todas as despesas. Caso mais do que a metade do seu orçamento esteja comprometida com prestações de financiamentos, reveja suas prioridades. O mesmo vale para os gastos totais com o imóvel – que incluem a prestação, e os demais gastos – e que não devem superar 35-40% do seu orçamento mensal.

Sistema Financeiro da Habitação – SFH ou Sistema Financeiro Imobiliário – SFI

Atualmente é possível adquirir imóveis novos e usados com financiamento bancário. Existem à disposição diversos tipos de crédito: além do Sistema Financeiro da Habitação e Sistema Financeiro Imobiliário, há o consórcio, leasing e até financiamento com recursos externos. Alguns bancos privados também operam linhas de crédito imobiliário. Para obter o dinheiro não é preciso ser cliente.

Veja também:

SFH ou SFI – Vamos comparar

Use seu FGTS

Uma boa opção para dar entrada ou quitar o financiamento de uma casa própria pode ser usar o seu FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. O saldo do seu FGTS é composto de todos os pagamentos feitos pelos seus empregadores ao longo dos anos, com exceção de possíveis saques que você já tenha feito.

Para mais informações sobre como usar o FGTS para a aquisição da casa própria, baixe o E-Book do Click Habitação:

E-Book – FGTS – Sonho da Casa Própria

Fonte: Finanças Práticas

OBS. do Click Habitação:

A compra da casa própria não é apenas juntar um valor para dar de entrada e fazer a prestação do financiamento caber no bolso.

Envolve, também, outras variáveis e situações que devem ser observadas.

Para isso, faça previamente simulações do financiamento habitacional. Faça-as em todos os bancos e sites disponíveis.

Faça a simulação:

Simulador de financiamento CAIXA

Veja que a parte mais importante é a capacidade de pagamento. A simulação proporcionará ter a visão da evolução do valor das prestações, bem como as condições a serem contratadas, inclusive a escolha da Seguradora e os prêmios de seguros.

Quando for efetivar a simulação o valor do financiamento e do encargo mensal (prestação, seguros e taxa) dependerá de:

Algumas variáveis

Prazo – Quanto maior o prazo maior será o valor passível de financiamento (isso pode ser uma vantagem ou desvantagem, pois quanto maior o prazo maior o desembolso de juros ao longo do contrato);

Sistema de amortização – Basicamente no mercado imobiliário trabalha hoje em dia com 2 sistemas de amortização: SAC – Sistema de amortização constante e a Tabela PRICE (No SAC a prestação será maior e por consequência o valor a financiar será menor e no PRICE a prestação será menor e poderá financiar um valor maior).

Taxa de juros – Logicamente a taxa de juros também influencia no cálculo, pois dependendo do Banco e do relacionamento que tiver haverá diferenças nas taxas de juros ofertadas (em geral para ter uma taxa de juros menor o banco exigirá algumas reciprocidades: conta salário, conta, cartão de crédito e cheque especial, dentre outras).

Mas, é essencial não levar em consideração somente a taxa de juros na escolha da melhor opção para financiar seu imóvel.

O ideal é sempre comparar o CET – Custo Efetivo Total e o CESH – Custo Efetivo do Seguro Habitacional para fazer a escolha.

Limite de financiamento habitacional

Essa questão é relevante, pois não se consegue financiar 100% do valor da compra/venda, desta forma, haverá necessidade de desembolsar alguma quantia, o limite de financiamento determinado pelo Conselho Monetário Nacional – CMN depende do sistema de amortização escolhido:

SAC – até 90% do valor do imóvel
PRICE – até 80% do valor do imóvel

O valor da entrada será de no mínimo de 10% do valor do imóvel, podendo ser maior estando sujeito ao sistema de amortização escolhido ou disponível, da capacidade de pagamento (encargo mensal), dentre outros fatores.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE SUA PERGUNTA, COMENTÁRIO OU SUGESTÃO.